terça-feira, 27 de novembro de 2018

Desfralde: dicas e acessórios para facilitar o processo


Tirar o "peito", a chupeta, a mamadeira e tudo o mais é tarefa daquelas para os pais; exige um quê de paciência mais um tanto de coragem, e mais um tantinho de segurança, afinal, como saber o momento ideal? Mas se tem uma fase que não só mexe com a vida da família como chacoalha toda a rotina prática da casa (e fora dela também!) é quando chega a hora do desfralde. Um dos maiores desafios na primeira infância é tirar as fraldas do bebê. Pensando nisso, reunimos uma série de dicas e acessórios que podem e ajudam de fato nessa hora. Acredite: com respeito aos sinais que a criança dá e com alguns "truques", tudo fica mais fácil e intuitivo!

Entendendo o que se passa com o pequeno
É com o passar dos meses que o bebê deixa de enxergar ele próprio e a mãe como um ser só (sim, ele nasce sentindo que ainda faz parte do útero...rs) e é por volta dos 8 meses que ele passa a perceber que está "sozinho" - por isso é comum aquele choro na hora de qualquer separação, ainda que seja da sala para o quarto. Esse mesmo raciocínio se aplica ao cocô e ao xixi: é pouco a pouco que o bebê vai aprendendo que aquilo deve ir para "fora". Fisiologicamente, é por volta dos 2 anos que isso acontece, ou seja, a criança começa a adquirir o controle dos esfíncteres (estruturas responsáveis pela expulsão das fezes e da urina) e passa a conseguir "segurar" ou avisar quando tem aquela vontade. Mas tem também o apego à fralda, a parte do comportamento, a segurança sentida, a capacidade de obedecer a alguns comandos...
Então a dica número 1 da psicologia é respeitar o tempo da criança. Como? Simples; muito mais do que comparar com a filha da sua amiga ou se preocupar com a idade do seu filho, mantenha a atenção na sua criança e nos sinais que ela dá. Alguns deles podem ser:
  • A criança indicar que a fralda suja a incomoda ou demonstrar nojo ou incômodo com a fralda
  • Ela conseguir de fato avisar que quer fazer xixi ou cocô, mesmo que em um primeiro momento não consiga esperar. O próximo passo é "segurar"
  • Amanhecer com a fralda seca (nesse caso indica até que pode ser feito o desfralde noturno)

Acessórios que podem ajudar no desfralde
No tempo da vovózinha (literalmente) não tinha muito o que fazer né? Mas hoje (graças a Deus, rs) tem! Então, é só ver o que se adequa melhor aí no seu dia a dia e no do seu filho(a).
Cueca / Calcinha de desfralde - você já deve ter visto que existem fraldas-calça no mercado certo? Mas, acredite: usar uma cueca ou calcinha própria para o desfralde ajuda a criança a entender o que está acontecendo com ela. Isso porque o simples fato de você falar "fralda" já pode despertar aquela sensação do "estou protegido, posso fazer xixi aqui mesmo". Dica: Muitas mães que usam a cueca ou calcinha de desfralde fazem da compra do acessório uma festa, deixando a criança escolher desenhos, abrir o pacote, etc. Melhor coisa! Seu filhote sente que está "crescendo", pega o lado positivo da coisa e participa ativamente do desfralde de forma divertida e natural. Para o adulto, o bacana é saber que há uma proteção sim (duas camadas de material absorvente e forro impermeável), evitando que um eventual vazamento molhe o chão, o sofá, a cadeirinha do carro e a roupa durante os escapes…
Saquinho impermeável para peças molhadas - tenha sempre com você, na bolsa, na mochila e pronto! Se tiver um escape (quando a criança já estiver de cueca e calcinha normal), você vai poder colocar a troca de roupa suja ali. O legal é que esse acessório também serve para colocar as roupinhas da piscina ou para colocar as roupinhas sujas da escola.
Redutor de assento - para facilitar a sua vida e a do bebê! Ao invés de penico, uma dica é ir direto para o redutor de assento de vaso sanitário, que é bem mais higiênico e prático. Algumas crianças não gostam por conta da altura, mas o uso do banquinho (recomendado por conta da posição das pernas da criança, que devem estar apoiadas) acaba deixando tudo mais tranquilo. Uma dica bacana para quem tem um banheiro para o uso exclusivo da criança é apostar em um redutor de assento com escada. Para ir na casa da avó, vale apostar em um redutor dobrável e para os passeios em geral vale deixar na bolsa um protetor descartável (vendido em embalagens com algumas unidades). Ah, para meninos, uma dica que funciona bastante:mictório para meninos! Acaba sendo divertido para eles e para alguns é mais fácil já começar fazendo o xixi em pé. =)

Outras dicas
  • Apresente o banheiro (e deixe ele mais divertido!)
Conversar com as criança nessa fase é essencial, e quanto mais repetirmos a mesma coisa (com paciência) melhor. Especialistas recomendam mostrar para a criança que ela cresceu, que a fralda é para crianças menores e que deixar de ser tão bebê é muito legal! Liste o lado positivo de tudo isso, e vale explicar que os amigos da escola, o irmão mais velho e o primo também já usam a privada. Vale levar o brinquedo favorito para fazer "companhia" no banheiro, vale cantar música, dar tchau para o cocô e para o xixi, colar adesivos nos azulejos, ler histórias…
  • Reforce positivamente
O importante nessa fase é que a criança sinta-se bem, segura e sempre veja que sair das fraldas é algo bom. Pra ajudar, nunca dê bronca (isso desestimula e pode colocar medo ou gerar ansiedade desnecessária), e sim use o reforço positivo! Demonstrar o quão feliz você está com o pequeno é fundamental, então pode dar os parabéns (pular, bater palmas...rs) todas as vezes que ele chegar a tempo no banheiro ou não deixar escapar.
  • A melhor estação é o verão:
Aproveite quando o tempo está mais quente pra começar o desfralde. Deixar a criança molhada de xixi no frio pode causar resfriado, além de assaduras. Mas não perca a coragem se já tiver começado o processo e o tempo virar; é importante manter a rotina.
  • Respeite outras mudanças
Pode parecer bobo para adultos mas, para os pequenos, uma única mudança no dia a dia deles gera bastante desconforto. Por isso, é importante adiar o processo caso já esteja acontecendo ou esteja prestes a acontecer algum fato que altere a rotina infantil, como a mudança de casa, transferência de escola ou a chegada de um irmãozinho.
  • Deixe o desfralde noturno para depois
O desfralde diurno vem primeiro quase sempre - a não ser que a criança resolva tirar a fralda de uma vez, acorde todos os dias com a fralda seca, etc. Mas, em geral, tirar a fralda da noite é mais demorado e exige mais paciência: pode levar até seis meses até um ano, contando a partir do momento em que a criança começa a acordar com a fralda seca. Em casos de crianças hiperativas, o desfralde pode levar ainda mais tempo.
  • Fale com o pediatra
Se tiver dúvidas ou achar que o processo não está evoluindo, procure falar com o médico da criança. Ele é quem a acompanha e vai saber dar as melhores recomendações. Em casos bem raros, a criança pode estar sofrendo de alguma disfunção de bexiga.

Por último, é bacana lembrar que, acima de tudo, os pais devem lembrar que o desfralde, assim como outra qualquer etapa do desenvolvimento, é  uma prova natural de maturidade e de amadurecimento. Então, deixe acontecer, no tempo da criança e com o devido apoio. Fazer pressão resulta no inverso do que queremos, enquanto escutar seu filho e o que ele está "dizendo" funciona 100%!

Nenhum comentário:

Postar um comentário